2a1 e Mauricio de Sousa Ao Vivo inauguram “Estação Turma da Mônica”

A primeira Estação Turma da Mônica do país foi inaugurada no dia 5 de julho, no Shopping Cerrado, em Goiânia (GO).

 

O empreendimento é uma parceria entre a Mauricio de Sousa Ao Vivo e a operadora ETM Brasil.

Veja também: Personagens licenciados movimentam Malls

Veja também: 2a1 Cenografia leva “Madagascar” ao Tivoli

Quem assina a produção de cenografia do projeto é a 2a1 Cenografia.

O mais novo parque temático da turminha mais conhecida do Brasil, no qual foram investidos R$ 5 milhões, foi instalado no primeiro piso do Shopping Cerrado, com área de 1.600 m², estrutura de lazer, espaço multiuso para a realização de eventos sociais, corporativos e educativos, chamado Praça Mauricio de Sousa, além de uma loja com acesso comum para os visitantes do shopping, em que será possível adquirir produtos oficiais da Turma da Mônica.

“Foi um trabalho realmente desafiador. Ao todo foram mais de 30 profissionais envolvidos, entre arquitetos, cenógrafos, marceneiros, pintores, aerografistas, adesivadores, serralheiro, escultores, laminadores etc. Com um tempo bastante apertado. Toda esta estrutura foi construída em praticamente três meses.”, afirma Caio Paulino, diretor de Marketing da 2a1 Cenografia.

A Estação Turma da Mônica é um Centro de Entretenimento Familiar ou FEC (Family Entertainment Center), termo como é globalmente conhecido na indústria de diversões e que vem ganhando cada vez mais força. Segundo dados da Associação dos Parques de Diversões do Brasil (Adibra), existem no País mais de 300 parques associados.

A maioria são projetos temáticos, itinerantes, aquáticos e parques menores, geralmente instalados em shoppings, com brinquedos mais simples, os chamados FECs.

As FECs normalmente contam com atrações inspiradas no mundo das histórias em quadrinhos e são desenvolvidas com base em conceitos temáticos, interativos e educativos.

Os projetos geralmente possuem metragens que variam entre 90 m² e 3 mil m², com atrativos importantes aos shopping centers, que deixaram de ser apenas um polo varejista para se tornar referência em entretenimento para toda a família.

“Acreditamos neste mercado e neste modelo de negócios no País, devido a intensão e visão dos parqueiros em se profissionalizar e trazer atrações cada vez mais bacanas aos seus empreendimentos. Porém, o segmento está cada vez mais focado em experiências, por isso é mais viável construir algo um pouco menor e rotativo, mas que proporcione imersão ao cliente, do que ter um empreendimento grande com atrações viciadas.”, explica Paulino.

 

Fonte: PROMOVIEW