Pirataria não é legal!

A Campanha de Combate à Pirataria está sendo realizada pela Associação Brasileira de Licenciamento – ABRAL, com o apoio do Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual – CNCP; do Fórum Nacional Contra à Pirataria e a Ilegalidade – FNCP e do Instituto do Capital Intelectual – ICI.

Intitulada de PIRATARIA NÃO É LEGAL, a intenção é alertarmos sobre os malefícios que a pirataria pode causar. Queremos sensibilizar a sociedade para que aos poucos tenhamos consumidores mais conscientes.
O anúncio e a vinheta estão gratuitamente à disposição de todos os meios de comunicação (revistas, jornais, TV, embalagens de produtos licenciados, empresas, etc.).

Já está sendo veiculada nos canais Cartoon e Cultura. Estamos em negociações com a Nickelodeon, Gloob e SBT.

Caso queiram incluir o anúncio ou a vinheta em seus respectivos meios, basta entrar em contato com Fabíola Ferracini: (11) 5041-9087 / fabiola@abral.org.br.

Participe da campanha!!!

Segue abaixo alguns números da pirataria no País:

-  Aumento de 66% no valor total de mercadorias piratas apreendidas entre 2010 e 2012;

- O valor das mercadorias apreendidas no período correspondem a uma movimentação financeira de R$ 2 bilhões, de acordo com dados da Receita Federal;

Os produtos mais falsificados de 2012 foram:

. Bebidas: 91.716 Litros

. CD/VHS/DVD: 2.252.704 Unidades

. Cigarros: 3.134.920 Pacotes

. Combustíveis: 184.211 Litros

. Equipamentos de informática: 81.652 Unidades

. Eletrônicos: 311.675 Unidades

. Medicamentos: 671.967 Unidades

. Pneus: 6007 Unidades

- Em 2012, o brasileiro comprou um total de R$ 23,8 bilhões em produtos piratas, segundo revela levantamento do FNCP (Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade);

A pirataria rouba dois milhões de empregos formais no Brasil e impede a arrecadação de R$ 40 bilhões por ano em impostos. Os dados são estimados pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Abaixo, os números da pirataria nos 11 setores pesquisados.

Setor Mercado Legal Mercado Ilegal
Óculos R$ 19,5 bi R$ 8 bi
Cigarros R$ 18,7 bi R$ 4,880 bi
Perfumes R$ 2,51 bi R$ 2,45 bi
Produtos de limpeza R$ 14,9 bi R$ 2,235 bi
TV por assinatura R$ 23,7 bi R$ 1,8 bi
Câmeras R$ 2 bi R$ 500 milhões
Consoles Videogames R$ 814 milhões R$ 488,4 milhões
Pilhas R$ 1,6 bi R$ 480 milhões
Brinquedos R$ 4,340 bi R$ 130,2 milhões
Música em Jukebox R$ 100 milhões R$ 48 milhões

*Fonte: FNCP