tecnologia tem ganhado cada vez mais força quando o assunto é conquistar o cliente. Além de um ótimo produto com um preço compatível, qualidade, beleza e funcionalidade, a experiência é fundamental para conquistar o público-alvo.

O varejo já não é mais o mesmo. Um simples brinde já não é suficiente para atrair a atenção do consumidor.

Embora os canais de varejo tenham se multiplicado, a razão pela qual as pessoas gostam de fazer compras ainda se mantém.

Com todas as operações on-line como a Amazon, Lojas Americanas, Magazine Luiza e tantas outras, podendo ser acessadas com dois cliques, é preciso ir além para manter o ponto de venda ativo, afinal, o consumidor ainda busca a diversão na experiência.

Paralelamente à ascensão de novas empresas, no mundo on-line, munidas de tecnologias da próxima geração, os players do mercado que não conseguirem se adaptar rapidamente sofrerão, pois há um mercado em ebulição.

As companhias sólidas que construíram grandes mercados para seus produtos estão buscando, como alternativa para a evolução, juntar-se a empresas dessa nova geração ou trazer um time de especialistas ou de tecnologia e inovação, que consigam realizar essas mudanças dentro de sua realidade.

Não é uma tarefa fácil mudar todo o sistema contábil e financeiro de uma empresa durante da noite para o dia para atender à demanda omnicanal. É preciso ter em mente que, nos dias atuais, as marcas são vistas como pessoas, afinal, nos relacionamos com elas.

Nem sempre as marcas irão nos agradar totalmente. Elas podem nos desapontar ou surpreender, ter um relacionamento saudável e de longo prazo, mas jamais poderão trair a nossa confiança, assim como as pessoas com as quais nos relacionamos no dia a dia.

Para evitar que o consumidor fique desapontado, é preciso que as marcas sejam coerentes em todos os canais, seja no Facebook, no feed do Instagram, na newsletter do e-mail marketing ou nas palavras do CEO.

Apenas um slogan ou logo diferenciados não influenciam mais. O que uma marca faz no dia a dia e como impacta na vida das pessoas é o que está sendo visto, acompanhado e testado pelo consumidor.

A melhor maneira de se oferecer uma experiência é imaginar o que se deseja oferecer, e, em seguida, procurar especialistas no assunto para entregar a melhor vivência. Um exemplo: você não sabe cozinhar, mas quer oferecer um jantar para os amigos. O que fazer? Contratar alguém que saiba fazer o serviço e assim todos saem ganhando com essa experiência.

Já se foi o tempo em que a melhor opção era criar tudo sozinho, especialmente quando se trata de tecnologia, afinal, as funcionalidades e desejos do consumidor mudam a cada momento.

Há algumas décadas, sequer imaginávamos receber uma compra on-line no dia, e, a partir de algumas poucas empresas que começaram a fazer isso meses atrás, fica fácil entender que essa possibilidade existe e o consumidor de certa forma exige esse avanço.

A experiência deve ser lúdica, pessoal e individual para a pessoa se sentir única. Se isso acontecer, a marca ficará gravada na mente e passará a ser mais respeitada e admirada.

 

Fonte: PROMOVIEW

Deixe seu comentário