Evento, que terá o conceito de Game Park, acontecerá anualmente no Rio; este ano, ele será realizado em setembro com patrocínio da Oi

Mantovani, Justo e Valentim na coletiva de lançamento do Game XP (Crédito: Divulgação)

Se ele nasceu dentro do Rock in Rio, a ideia é que tome vida própria e siga além do festival. Com isso em mente, a organização do Game XP anunciou nesta segunda-feira, 4, o novo formato do projeto que assume a partir deste ano um modelo de Game Park. Lançado na edição do ano passado do Rock in Rio, o evento, que tem o festival como um de seus criadores com a CCXP, a partir de agora conta também com a sociedade do Grupo Globo. Com o patrocínio master da Oi, ele terá sua primeira edição neste novo formato em setembro, entre os dias 6 e 9, no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro. Universidade Estácio de Sá e CVC já são apoiadores da iniciativa que terá outros parceiros.

“No ano passado recebemos 316 mil pessoas dentro das duas arenas do Game XP enquanto o Rock in Rio estava acontecendo. Agora ele ganha autonomia e vira um evento próprio, global. Diante disso, entendemos que precisávamos de um terceiro gigante como parceiro”, brincou Luis Justo, CEO do Rock in Rio, na coletiva de lançamento do Game XP no Museu do Amanhã, no Rio. O Grupo Globo entra como este parceiro, ampliando seus investimentos em games e eSports; no ano passado, a Globo já havia lançado um prêmio voltado ao setor de eSports. “Estamos indo para sete tema de games e eSports além das coberturas e transmissões. Percebemos que quando olhamos este público, ele cresce muito e tem características bem diferentes”, disse Leandro Valentim, head de novos negócios do Grupo Globo. Ele acrescenta que, para participar desta comunidade e ter uma conversa direta com ela, era necessário fazer coisas diferentes. “Buscamos ampliar os pontos de contato com este universo”, aponta. Em 2017, a Globo já havia feito uma parceria com o Game XP mas na área de conteúdo.

Pierre Mantovani, CEO da CCXP, lembrou que o maior mercado de entretenimento do mundo já é o de games. “E um terço da população brasileira joga algum tipo de jogo eletrônico”, falou. Para ele, o Game XP traz a novidade de integrar experiências para todas as idades, com atrações para um público que vai de 8 a 80 anos. O Game XP será montado em um formato de parque de diversões tematizado com os games, com atrações ao ar livre, jogos eletrônicos gratuitos, novas tecnologias e a maior tela de games do mundo.

Conhecidas do público que foi ao Rock in Rio em 2017, a Oi Game Arena, a GamePlay Arena e a Experience Bay estarão de volta, mas em versões maiores; apenas na primeira, os fãs de eSports encontrarão a maior tela de games do mundo, mas 50 m² maior que a versão anterior, atingindo 1500 m². No espaço também será disputada a final do Brasileirão Rainbow Six e uma etapa do campeonato brasileiro de Just Dance, que vale vaga para o mundial do jogo que será realizado em 2019. “Queremos cada vez mais nos associar a este tipo de iniciativa, ter acesso direto a este conteúdo jovem, ser um meio para isso tudo, como provedor que entrega isso ao consumidor”, explicou Bruno Cremona, gerente de patrocínios e eventos da Oi.

O parque contará ainda com ativações ao ar livre e a Inova Arena, um espaço que apresentará conteúdo de tecnologia e inovação. Uma atração confirmada é o jogo Arkave VR – The Last Squad, 100% desenvolvido no Brasil, que ocupará uma área de 400 m2 e utilizará o conceito de realidade virtual imersiva de corpo inteiro. Os ingressos para o Game XP começarão a ser comercializados na segunda-feira, 11. “É um evento que nasceu no Rio de Janeiro mas como o Rock in Rio tem tudo para ser um evento do mundo”, disse Justo. Com periodicidade anual, nos anos em que o festival de música for realizado, o Game XP acontecerá dentro dele.

Fonte: Meio & Mensagem

Deixe seu comentário