turma da monica

A ascensão do podcast como mídia está indo além dos programas de notícias, ciências ou história, a mídia começa a ganhar relevância no entretenimento com grandes empresas como Marvel e, recentemente, a Turma da Mônica, apostando no formato.

A empresa que cuida das histórias de Maurício de Sousa levou, inicialmente, 90 histórias no formato de áudio para a plataforma Ubook, uma espécie de Netflix de audiobooks. Várias outras histórias e clássicos já foram adaptados para o formato em áudio como Cinderela e O Pequeno Príncipe para crianças até guias de games como League of Legends.

As vozes dos personagens da Turma da Mônica no projeto de áudio são as mesmas que já dublam os desenhos animados. Maurício de Sousa explica que os investimentos em streaming de áudio vão além de uma nova opção de formato para quem consome seu conteúdo.

“A Turma da Mônica sempre gostou de se divertir e é superantenada com todas as novidades tecnológicas que surgiram neste caminho. Por isso, nada melhor do que apresentar essas histórias no formato de áudio, que vem ganhando cada vez mais adeptos no mundo todo”, diz Mauricio de Sousa.

No início da segunda quinzena de março, a Marvel estreou no mundo do podcast com Wolverine The Long Night, uma série em dez episódios feita somente em áudio e oferecida na plataforma Stitcher Premium. Segundo Daniel Silver, da Marvel New Media, produzir uma luta em áudio não é algo simples. A estratégia é reproduzir o clímax como um todo ao invés de focar em micro momentos. O podcast foi escrito pelo autor de quadrinhos Ben Percy e tem o ator Richard Armitage, como Wolverine. Segundo Daniel, a ideia foi inserir o mesmo personagem, mas em um ambiente diferente.

O crescimento do podcast como mídia traz uma nova opção de ações para marcas. Tema, no entanto, que ainda precisa evoluir na indústria de áudio. De acordo com levantamento da Nielsen Digital Media Lab, em 2017, entre os ouvintes de podcasts, 70% revelam considerar que anúncios em áudio aumentam o awareness sobre produtos e serviços e 78% não se importam com anúncios ou patrocinadores porque sabem que “ambos viabilizam a produção”.

*Crédito da imagem ao alto: reprodução Turma da Mônica

Fonte: MEIO&MENSAGEM

Deixe seu comentário