O SETOR

 O QUE É LICENCIAMENTO

Licensing ou licenciamento é o direito contratual de utilização de determinada marca, imagem ou propriedade intelectual e artística registrada, que pertença ou seja controlada por terceiros, em um produto, um serviço ou uma peça de comunicação promocional ou publicitária.

Esse direito é concedido por tempo limitado em troca de uma remuneração, normalmente definida como um percentual aplicado sobre o valor gerado com as vendas ou a prestação de serviços que utilizam esse licenciamento.

No Brasil, o termo correto para referir-se à remuneração sobre os direitos de propriedades industriais e marcas é royalty. Para personagens, celebridades e obras artísticas, o termo indicado é copyright, equivalendo a direito autoral (moral e patrimonial).

Alguns dos principais benefícios do licenciamento:

Reconhecimento do público-alvo

Diferenciação em relação aos concorrentes

Rentabilidade através de margens mais altas pela força da marca

Entrada facilitada nos canais de distribuição

Fortalecimento da marca da empresa

 

O SETOR NO BRASIL

Não há uma pesquisa oficial que endosse tais números do setor de licenciamento no Brasil. Os números apresentados a seguir são estimados.

- 350 empresas licenciadas
- 600 licenças disponíveis, das quais 80% são estrangeiras
- 50 agências licenciadoras
- 1.500 empregos diretos e milhares de empregos indiretos

categorias mais licenciadas

empresas que mais licenciam

Faturamento 2012 (R$):

- Varejo: 12 bilhões - Média 14% de crescimento nos últimos anos.

Faturamento 2013 (R$):
- Varejo: 12 bilhões e 480 milhões de reais – crescimento de 4% em relação ao ano de 2012.

Faturamento 2014 (R$):
- Varejo: 13 bilhões e 200 milhões de reais – crescimento de 6% em relação ao ano de 2013.

Faturamento 2015 (R$):
- Varejo: 17 bilhões de reais (dados atualizados conforme pesquisa de mercado realizada com nossos associados).

Faturamento 2016 (R$):
- Varejo: 17 bilhões e 850 milhões de reais – crescimento de 5% em relação ao ano de 2015.

A previsão para 2017 a expectativa é de um cenário de estabilidade, acompanhando as taxas de inflação do país.

O Brasil está entre os seis países com maior faturamento em licenciamento de marcas do mundo. Estados Unidos, Japão, Inglaterra, México e Canadá estão entre os mais expressivos.

Taxas de Royalties sobre o preço de venda no Varejo:

- Alimentos: 3 a 5%

- Roupas e Calçados: 10%

- Acessórios: 8 a 12%

- Eletrônicos: 8 a 10%

- Cosméticos: 5 a 8%

- Cadernos: 10%

- Brinquedos: 10 a 12%

- Artigos de Bazar: 7 a 10%

- Editorial (publicações): 4 a 8%

- Serviços (cartões de crédito e conteúdo para celular): 10 a 30%

- Fraldas: 2 a 4%

Estudo da Go Associados, encomendada pela Mauricio de Sousa Produções, referente o impacto financeiro sobre a publicidade infantil, a seguir:

1. Impactos diretos e indiretos do comércio de produtos infantis licenciados: R$ 51,4 bilhões em produção na economia nacional, 1,17 bilhão de empregos, mais de R$ 10 bilhões em salários e quase de R$ 3,0 bilhões em tributos.

2. Somados esses benefícios do comércio aos provenientes da produção destinada ao público infantil de outros quatro setores – brinquedos, agricultura, alimentos e higiene e limpeza – os impactos diretos e indiretos: R$70 bilhões em produção na economia nacional, geração de 1,5 bilhão de empregos, R$ 13,3 bilhões em salários e quase de R$ 4,8 bilhões em tributos.

3. Prejuízos referentes a limitações à utilização e à comercialização de marcas, personagens e produtos da Turma da Mônica:

i) Produção nacional de brinquedos: retração de R$ 5 bilhões em produção e comprometer mais de 94 mil empregos, R$ 824 milhões em salários e quase R$ 460 milhões em tributos. (esses impactos negativos na produção local beneficiam o consumo de brinquedos importados, que não requerem propaganda).

ii) Produção agrícola destinada ao público infantil: retração de R$ 43 milhões em produção, comprometer mais de 1.500 empregos, R$ 6,4 milhões em salários e quase R$ 3 milhões em tributos.

iii) Produção de alimentos destinados ao público infantil: retração de R$ 155,3 milhões em produção e o comprometimento de quase 3.000 empregos, R$ 22,6 milhões em salários e R$ 14 milhões em tributos.

 iv) Setor de higiene e limpeza destinado ao público infantil: retração de R$ 2,6 bilhões em produção, cerca de 44 mil empregos, R$ 424,6 milhões em salários e R$ 285,2 milhões em tributos.

v) Comercialização de produtos licenciados destinados ao público infantil: retração de R$ 25,7 bilhões em produção, comprometer mais de 585 mil empregos, R$ 5,1 bilhões em salários e quase R$ 1,5 bilhões em tributos.

4. Perdas estimadas com a proibição da veiculação de publicidade dirigida às crianças: R$ 33,3 bilhões em produção, mais de 728 mil empregos, R$ 6,4 bilhões em salários e R$ 2,2 bilhões em tributos.

5. O Brasil já possui um dos sistemas de auto-regulamentação mais restritivos do Mundo, com 22 restrições. Em segundo lugar aparece o Reino Unido com 16.