Esse foi o primeiro ano em que a emissora apostou no licenciamento de produtos com o nome do BBB

Pela primeira vez nas 21 edições do Big Brother Brasil, a Globo apostou no licenciamento da marca do reality. E o BBB21 chega ao último dia nesta terça-feira (4) com mais de 2 milhões de produtos comercializados em mais de mil lojas físicas e e-commerces.

O BBB21 fechou parcerias de licenciamento com seis marcas: Above, Artex, Gocase, Kapazi, Signora e Uatt, que lançaram no mercado os mais diversos itens – de almofadas às malas usadas pelos participantes, passando por jogos de cama, capachos, roupões e uma linha exclusiva de desodorantes à qual o elenco teve acesso durante todo o programa.

Produtos foram comercializados em mais de mil lojas físicas e e-commerces (Globo/ Divulgação)

“Esses números reforçam o sucesso desta 21ª edição e a capacidade de construirmos projetos personalizados para a atender às demandas de cada marca e aos anseios de um público que se informa, se entretém e se inspira com os conteúdos da Globo”, disse Sabrina Freitas, gerente de Licenciamento de Marcas da Globo.

Se por um lado o negócio é bom para a área de licenciamento da emissora, por outro, o BBB21 ajudou a dar luz às marcas antes não muito conhecidas. Gustavo Malucelli Bacila, presidente da Baston Aerossóis, fabricante da Above, o crescimento foi de 109% em relação ao mesmo período de 2020, quando a marca estava longe dos holofotes do Big Brother Brasil.

Linha de desodorantes que leva o nome do BBB (Divulgação/ Globo)

“O BBB sempre mexeu muito com quem está do lado de fora da casa, todo o clima de confinamento e a mística da casa mais vigiada do Brasil. Precisávamos criar alguma ação que provocasse algo nesse desejo, que conseguisse aproximar os espectadores da tão distante casa e que gerasse bastante engajamento”, revelou.

A Artex foi outra empresa que também resolveu apostar na edição deste ano do BBB, licenciando roupas de cama dos quartos do BBB, incluindo o enxoval do líder da semana. Gerente de Marketing da marca, Daniela Tavares Portela Ferreira garante que o reality permitiu desenvolver produtos comerciais que geram desejo de quem é fã do BBB.

Roupão do líder, enxoval dos quartos do reality: produtos de licenciamento com a marca BBB (Divulgação)

“O programa nos permitiu desenvolver produtos comerciais e que também geraram desejo, nos deu oportunidade de conversar com novas pessoas, além de oferecer um diálogo ainda mais próximo com os fãs da marca e engajar a nossa base com pautas super atuais”, disse a executiva. “Foi ótimo também para entender a percepção do público em relação aos produtos, sejam novos consumidores ou antigos”, completou.

BUSCAS NA INTERNET
Uma das patrocinadoras do BBB21, a C&A, por exemplo, registrou um recorde de buscas na internet, com um aumento de 1001%, se comparado com o volume de buscas na hora anterior.

“Essas métricas nos auxiliam a ver se estamos no caminho certo em traçar e manter esse diálogo com o público ativo não só durante o programa, mas por meio também dos nossos canais proprietários, unindo ainda moda e inovação, dois importantes pilares do nosso DNA”, afirmou Mariana Moraes, gerente sênior de marketing da C&A Brasil.

Desfile em realidade aumentada: uma das ativações da C&A no BBB21 (Divulgação)

A marca realizou algumas ações dentro da casa e fora da casa. Em uma delas, a marca utilizou a realidade aumentada para levar um desfile ao BBB21. Em outra, a C&A criou uma landing page dedicada ao reality, que apresentava uma seleção de produtos usados pelos brothers e sisters desta edição.

A executiva revelou ainda que a C&A tem uma equipe dedicada full time para o monitoramento do Big Brother Brasil, analisando os looks de cada participante e identificando oportunidades conforme utilizam as peças da marca.

“Oferecemos aos participantes do reality show uma variedade de produtos para escolherem conforme suas preferências, expressando suas personalidades para o público por meio dos looks usados ao longo do jogo”.

Fonte: Propmark