Nike lançou, no mês passado, sua loja oficial no Mercado Livre, uma plataforma com cerca de 75,9 milhões de usuários ativos.

Na loja da marca os fãs podem encontrar produtos como calçados, roupas, acessórios, artigos esportivos, dentre outros.

Mas quais razões estão por trás dessa decisão da multinacional norte-americana? Por um lado, há o crescimento das verticais de Moda e Esporte.

“Em 2021, registramos um crescimento de 50% nas verticais de Moda e Esporte na plataforma, em relação ao ano passado. Fato que nos mostrou ainda mais a importância, potencial e necessidade dessa parceria, que vem com excelentes expectativas.”, detalha o vice-presidente sênior do Mercado Livre no Brasil, Fernando Yunes.

(Imagem: Divulgação/Mercado Livre)

Além disso, um estudo interno do Mercado Livre mostrou um crescimento das Lojas Oficiais nos setores de Moda e Esporte: elas crescem 69,9% por ano, e proporcionam um aumento de 41% de conversão nas vendas.

Só que essas não são as razões principais para a nova parceria. O combate à pirataria é a principal razão, como mostra a resposta do CEO Pedro Zemel, do Grupo SBF (dono da Centauro, responsável pela operação da loja oficial da Nike à pergunta de um analista do Bradesco feita durante uma teleconferência de resultados.

Zemel afirmou que a Centauro viu que algumas lojas vendiam produtos falsificados com o logo da Nike, o que, segundo ele, é muito ruim para a construção da marca. Ao abrir uma loja oficial na plataforma de e-commerce, a intenção é dar acesso aos produtos legítimos da marca.

A presença de produtos pirateados é um dos maiores problemas do Mercado Livre, tanto que o próprio ML tem se esforçado para que grandes marcas abram suas lojas oficiais no site. Samsung, Brastemp, Motorola e Apple foram algumas empresas famosas que aderiram.

Fonte: Promoview