A mercadoria apreendida na operação será mantida em um depósito. Após o julgamento do processo, todos os produtos são destruídos.

Policiais civis da Delegacia de Investigações sobre Propriedade Imaterial realizaram uma operação de combate ao comércio de produtos falsificados. A ação desta sexta-feira (10) abrangeu toda a região do Largo Treze, na zona sul da cidade de São Paulo.

Quase duas toneladas de produtos foram apreendidas, entre peças de vestuário, calçados e fantasias. As ações de campo visam a retirada de produtos falsificados de circulação e também a desativação de fábricas clandestinas.

Segundo o delegado titular da 1ª DIG, Wagner Carrasco, a delegacia, juntamente com o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), realiza levantamentos constantes. “As representantes das marcas famosas também nos procuram acerca de alguns locais em que há essa comercialização ou produção desses produtos piratas”, completa.

O comerciante que vender produtos falsificados pode ter o alvará de licenciamento cassado e a atividade interditada. De acordo com Carrasco, a comercialização de material pirata é considerada crime de menor potencial ofensivo, mas a penalidade é certa.

Em razão da quantidade da pena eles acabam não ficando presos em flagrante, no entanto são trazidos aqui no Deic, prestam seus esclarecimentos e posteriormente são liberados para que respondam a esse inquérito e processo”, explica.

A mercadoria apreendida na operação será mantida em um depósito. Após o julgamento do processo, todos os produtos são destruídos.

Fonte: Jovem Pan * Com informações da repórter Lívia Fernanda